Máfia com ligações a Primeiros Ministros da União Europeia assassina jornalistas


Eslováquia / Malta * 


(os britânicos têm toda a razão em quererem sair deste pântano, transbordante de corruptos e bandidos) 



* a máfia italiana estará na origem dos assassinatos na Eslováquia, o que demonstra que a UE, depois de tantas décadas, não conseguiu acabar com a máfia num dos seus "paises fundadores", máfia essa que encontrou terreno fértil nos países ex-comunistas. Estas máfias, vindas do sul da Itália, constituem um perigo tão grande quanto o terrorismo islâmico, pois estão plenamente inseridas nos vários países, "sacam" dinheiros comunitários com grande à-vontade, estão altamente organizadas, unidas por juramentos de sangue, são globalmente mais eficientes que os islâmicos e os seus membros não são eliminados como os islamistas têm sido exterminados, na Síria, nomeadamente. Também não se percebe que os islâmicos possam ser "informalmente" liquidados por corpos especializados, como aconteceu com o Bin Laden, e os mafiosos extremamente perigosos, espalhados pelo espaço da UE, não só não o sejam, como se possam dar ao "luxo" de liquidar jornalistas, em países da União europeia, subsidiados com o dinheiro dos contribuintes europeus!!! Claro que na UE, o Bin Laden teria tido bons advogados e estaria protegido da pena de morte e da prisão perpétua pelo Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, como o estão os assassinos das máfias italianas e todos os outros terroristas... Mais: esses países arranjaram forma de se livrarem do seu próprio "lixo", pois com a livre circulação de pessoas e bens @s que "desfiguravam" a paisagem urbana desses países encontram-se agora a mendigar nas ruas das cidades dos países mais antigos da UE, controlad@s por máfias brutais, da mesma "etnia" daquel@s que forçam à mendigagem mas que escravizam todo o tipo de necessitados que consigam apanhar na "rede", especialmente quando esses seres debilitados não falam o idioma dos países onde foram post@s a mendigar, sendo também frequentemente forçad@s a atividades criminosas.

A UE falhou em tudo o que realmente interessa ás "pessoas reais". E falhou de forma tão estrondosa e liminar ao ponto de ter sido possível o assassinato de dois jornalistas que investigavam a corrupção dos respetivos primeiros-ministros: há uns meses foi em Malta, agora na Eslováquia. Fora o resto... que os cidadãos dos países contribuintes ignoram.

Comentários

Mensagens populares