Os polícias sadinos, ou pelo menos alguns deles, não serão, "por acaso", useiros e vezeiros nestes crimes? *

Nuno Pires, de 35 anos, ainda terá telefonado a uma amiga que tinha acabado de levar a casa, a dar-lhe conta de que teria sido abordado pela polícia e de que teria sido agredido.
O porta-voz da PSP, Paulo Flor, admitiu que há imagens de videovigilância em que aparecem dois elementos da PSP junto do da vítima e que tudo indica que esses dois elementos pertencem ao Comando Distrital de Setúbal, mas assegurou que, até ao momento, a PSP ainda não dispõe de qualquer informação que permita relacionar a morte do jovem com uma intervenção policial.
"Por muitas suspeitas que possam existir - e naturalmente que existirão -, aquilo que nós sabemos é que há uma interação entre dois polícias e o jovem, que tudo indica tratar-se do rapaz que veio a falecer. Mas não há nada, ainda, que ligue inequivocamente a morte deste cidadão a uma intervenção da Polícia de Segurança Pública", acrescentou o porta-voz da PSP.
Nuno Jorge pires foi encontrado numa rotunda junto à estação dos caminhos-de-ferro de Setúbal, por uma equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) que passava no local e que o transportou para o Hospital de São Bernardo, em Setúbal.

* há anos aconteceu (em Setúbal) um caso semelhante (a agressão foi premeditada e executada usando o carro patrulha, para além de um taco de basebol e soqueiras, e o corpo do agredido foi atirado para a berma de uma estrada) em que só não resultou na morte da vítima porque alguém passou, viu o corpo e levou o jovem ao hospital. Esse polícia bandido, neste reino da treta, paraíso dos piores escroques, só foi condenado a 3 anitos de prisão, que deve ter passado "na boa", a praticar musculação **, não foi exonerado - é uma alvitante aberração que estes criminosos não possam ser pura e simplesmente despedidos com justa causa agravada por estarem em exercício da sua função, porque, imagine-se, cá, no pântano, considera-se que exercem "funções de soberania"!!! - só neste lugar podre é que patrulhar ruas é considerada uma função de soberania!!! - foi exercer (...) para as "ilhas" (o destino habitual dos polícias condenados). Com polícias assim, mesmo imaginando-se que a PSP sadina seja uma tenebrosa exeção (na verdade estas coisas só acontecem porque existe uma cultura de cumplicidades e encobrimentos: se tal não existisse, casos similares, no passado, teriam sido exemplares para toda a corporação e no presente simplesmente não aconteceriam, mesmo entre os sadinos...), são necessários uma GNR e um exército potentes, sob forte comando militar e aptos a entrar em ação interna em qualquer momento, assim como uma PJ com mais poderes e muitos mais meios.

** no julgamento o polícia-bandido tentou confundir o juiz, apresentando outro sujeito que tinha exatamente o mesmo nome e que afirmava ter sido ele a agredir a vítima. Como a vítima felizmente sobreviveu (coisa que os criminosos não estavam à espera: criminosos no plural porque o agente que "nada fez", mas viu, calou e não prestou auxílio à vítima, é outro criminoso, assim como o civil que afirmou ter cometido o crime para "safar" o polícia-bandido), identificou o agressor em tribunal.

Mensagens populares