Assassinado aquele que era a "ponte entre a Ucrânia e a Rússia"

O presidente americano Barack Obama, que chegou a conhecer Nemtsov durante uma visita a Moscou em 2009, declarou que os russos perderam "um dos mais dedicados e eloquentes defensores de seus direitos". Obama pediu ao Kremlin a condução imediata de investigações "imparciais e transparentes".

A morte do russo também foi lamentada pelo presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, que o chamou de "ponte entre a Ucrânia e a Rússia". "O tiro do assassino destruiu isso. E acho que não foi por acaso", disse.

(Boris Nemtsov) foi convencido por Boris Ieltsin para se mudar para Moscovo e ser vice-primeiro-ministro, cargo que ocupou entre 1997 e 1998 (e durante o qual foi superior de um ex-agente do KGB chamado Vladimir Putin). Em 1999, Ieltsin terá pensado em Nemtsov para lhe suceder. Mas acabou por escolher Vladimir Putin, acreditando que este seria o líder moderado de que a Rússia precisava, segundo a agência Reuters (também há quem diga que Nemtsov foi preterido por causa das suas raízes judaicas).  

Mensagens populares