Abusos sexuais de crianças aumentaram em Portugal *

Os casos de abusos sexuais de crianças aumentaram de 1.074, em 2012, para 1.227 em 2013, registando-se igualmente uma subida dos casos de atos sexuais com adolescentes, segundo o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI). O documento, entregue segunda-feira na Assembleia da República, refere que os abusos sexuais de crianças foram os crimes sexuais mais frequentes.

Neste capítulo, noticia a Lusa, subiram igualmente os crimes de atos sexuais com adolescentes, de 127 (em 2012) para 161 (em 2013), de coação sexual, de 56 para 93, e de violação, de 459 para 473.

Os casos de abuso sexual de pessoa incapaz de resistência mantiveram-se (88 em 2012 e em 2013), tendo descido os de pornografia de menores (de 318 para 94) e os de abuso sexual de menor/dependente: de 52 para 44.

No ano passado foram detidas 70 pessoas por abuso sexual de crianças (67 homens e três mulheres), 53 por violação e onze por pornografia.

Ficaram em prisão preventiva 34 pessoas por abuso sexual de crianças, 23 por violação, três por abuso sexual de menores dependentes, três por pornografia de menores, dois por abuso sexual de pessoa incapaz de resistência, um por ato sexual com adolescentes e um por lenocínio de menores.

Em relação aos arguidos, foram constituídos 369 por abuso sexual de crianças (357 homens e 12 mulheres), menos 40 do que em 2012.

Foram constituídas arguidas por violação 186 pessoas (184 homens e duas mulheres), 49 por atos sexuais com adolescentes (47 homens e duas mulheres), 40 por importunação sexual, 37 por pornografia de menores, 34 por coação sexual, 22 por abuso sexual de pessoa incapaz de resistência.

Foram igualmente constituídas arguidas 17 pessoas por abuso sexual de menores dependentes, 12 por lenocínio, seis por lenocínio de menores, cinco por recurso à prostituição de menores e três por abuso sexual de pessoa internada.

No período em análise foram iniciados 2.372 inquéritos, destacando-se, pela incidência criminal, os de abuso sexual de crianças (1.227), violação (473) e atos sexuais com adolescentes (161).

Sobre o abuso sexual de crianças, o RASI refere que mantém-se «a acentuada incidência nas vítimas femininas e, em contrapartida, a preponderância de arguidos masculinos».

* 40 anos depois do 25 de Abril a integridade física e psicológica das pessoas continua a ser sistematicamente desrespeitada e não é uma prioridade estratégica. Violadores, pedófilos e assassinos (quantas mulheres já foram assassinadas pelos "companheiros" e "ex-companheiros" em 2014?) são por norma reicidentes (não são "curáveis"), isso é sabido de todos mas a "justiça" tuga parece ignorar. A polícia é frequentemente bastante eficaz... nomeadamente a multar e a agredir manifestantes pacíficos  (na realidade parece estar minada por uma quantidade "colossal" de agentes corruptos e perigosos), mas incompetente em salvaguardar a integridade física e psicológica das pessoas. O lugar está a regredir em liminarmente todos os aspetos, sendo a corrupção que conduziu o lugar à bancarrota uma outra face deste desrespeito generalizado pela vida das pessoas. Não há natalidade para suster o futuro do lugar? Claro que não! Deixar descendência num lugar brutal e corrupto como o Portugal de hoje é coisa para imbecis ou irresponsáveis (ou para os grandes corruptos de Estado, que têm milhões, conseguidos com "luvas", nas offshores, e quadros superiores de grandes empresas, que possam garantir segurança física e legal aos seus descendentes, ou mandá-los estudar e viver para fora, o que será certamente mais seguro...)

Comentários

Mensagens populares