No Dia Internacional da Luta Camponesa, a ReAlimentar celebra o seu segundo aniversário

A Oikos reencaminha este Comunicado de Imprensa enquanto membro da Rede ReAlimentar - Rede Portuguesa pela Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional.
 
17 de abril de 2014 – Foi exatamente há 2 anos que um conjunto de Organizações da Sociedade Civil portuguesa, preocupados com as políticas que impactam negativamente na soberania e segurança alimentar e nutricional em Portugal e no mundo, lançaram a REALIMENTAR, uma rede temática para a soberania e a segurança alimentar.

Trata-se de uma iniciativa da ACTUAR – Associação para a Cooperação e o Desenvolvimento, da CNA – Confederação Nacional da Agricultura, da OIKOS – Cooperação e Desenvolvimento, do IMVF – Instituto Marquês de Valle Flôr, da Associação Saúde em Português, da MARP – Associação das Mulheres Agricultoras e Rurais e da ACOP – Associação dos Consumidores de Portugal, organizações que vêm trabalhando estes temas e reivindicando uma alteração de políticas que salvaguardem o direito à alimentação e promovam a segurança alimentar e nutricional de forma soberana.

As aspirações, necessidades e modos de vida da maioria daqueles que produzem, distribuem e consomem os alimentos não têm estado no centro das políticas agrícolas, alimentares e comerciais. Estes problemas são também evidentes em Portugal, onde cada vez mais famílias se vêm em situações de pobreza e precariedade, com destaque para o meio rural.

Os efeitos mais negativos do atual modelo de desenvolvimento repercutem-se de forma mais significativa nos grupos mais fragilizados, nomeadamente nas mulheres, jovens, idosos e trabalhadores migrantes. Em face da falência deste paradigma de desenvolvimento, é necessária uma inversão de políticas agrícolas, alimentares e comerciais em Portugal, na Europa e no Mundo que contrarie esta tendência.

Face à necessidade de uma mobilização e intervenção social mais ativa nestes temas, a Realimentar - Rede Portuguesa para a Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional tem consistido num espaço de diálogo, debate, articulação de esforços, recursos e iniciativas para a intervenção nos processos de formulação e tomada de decisão sobre políticas públicas nacionais e internacionais que digam respeito à Soberania e à  Segurança Alimentar.

Na agenda mundial, europeia e nacional do desenvolvimento estão, entre as prioridades, a segurança e soberania alimentar e nutricional, o desenvolvimento rural e do mar, o reequilibrio das cadeias de valor deste setor. A REALIMENTAR  continuará a trabalhar para que estas não deixem de ser prioridades nas políticas públicas e para que passem da intenção à ação. Para tanto, a REALIMENTAR considera fundamental, designadamente, a adopção de um novo modelo de governança da alimentação tal como previsto também na ESAN (Estratégia de Segurança Alimentar e Nutricional) da CPLP.

Mais informações disponíveis no site da ReAlimentar.

Comentários

Mensagens populares