Agora falta fazerem tudo para que a corrupção de Estado não continue *

Pouco depois, o Parlamento elegeu como presidente o braço direito da opositora Iulia Timochenko, que entretanto foi colocada em liberdade, momento recebido em euforia pelos grupos resistentes concentrados no local e noutras zonas da capital.

Na cidade viu-se ainda uma bandeira portuguesa, numa barricada montada junto ao estádio do Dínamo de Kiev, que divide a praça do Parlamento ucraniano.

À praça continuam a chegar ucranianos solidários com os manifestantes, alguns com flores para depositar numa espécie de memorial pelas vítimas mortais dos confrontos dos últimos dias, outros com material bélico, mostrando a intenção de continuar a defender a praça

* porque, francamente, depois da guerra, de todas as mortes, da queda do mafioso-môr, é de esperar que não deixem nov@s ou velh@s corrupt@s fazerem mais do mesmo. Na UE já há corrupção que baste... Evidentemente que há que julgar os assassinos, de preferência em tribunal marcial.

As the president, Viktor Yanukovych, fled the capital, and parliament voted to strip him of his powers, he likened the actions of his opponents to those of the Nazis and said he would battle to stay in power. 

However, those willing to stand by him diminished by the hour as aides fled Ukraine, the army said it would not get involved, and police in key eastern areas said they were "with the people".


Comentários

Mensagens populares