Um grave problema de Estado

Sei não devo divulgar dados relativamente confidenciais a que tenho acesso, mas devo dizer que em Portugal a quantidade de homens com profissão "indeterminada" é simplesmente aterradora. O caso típico é a mulher trabalhar - e quantas trabalharão fora de casa e farão todos, ou quase todos, os trabalhos domésticos quando chegam a casa após o dia de trabalho? - e o homem tem profissão "indeterminada"(*).

Estamos perante um problema de Estado que compete ao Estado resolver: um país de homens de profissão "indeterminada", que vivem à custa das mulheres ou dos pais, não é um país nem moralmente aceitável nem economicamente viável. Estes "profissionais indeterminados" necessitam de ser postos a trabalhar compulsivamente quanto antes.


(*) muitos dizem ser desempregados mas depois verifica-se que não têm direito ao subsídio de desemprego porque só trabalharam uns meses ao longo de toda a sua vida e alguns (muitos) continuam a viver à custa dos pais que já são muito idosos.

Mensagens populares