Uma "justiça" tão suave com os corruptos de Estado *

O homem de 21 anos que matou o pai na madrugada de quinta-feira na aldeia de Tala, em Belas, concelho de Sintra, ficou em prisão preventiva, segundo fonte da PSP.

*  só pode ser exímia em prender quem (aparentemente) agiu em legítima defesa. Obviamente que "o problema" de Portugal é exactamente o sistema de "justiça". Enquanto o sistema de justiça português não fôr totalmente remodelado - com avaliações regulares, externas, sérias e totalmente independentes dos/as juizes/as - o lugar não muda até ao apodrecimento final (ou mais provavelmente até ao dia em que a justiça seja comandada e avaliada a partir do exterior, para grande felicidade de todos e prosperidade do lugar). Eu não tenho dúvidas que se devem enviar sinais de que a "justiça feita pelas próprias mãos" não é aceitável, mas todos sabemos que as vítimas, neste país, neste lugar, queixam-se, queixam-se, queixam-se, nada é feito para as proteger, ou o que é feito não tem eficácia. Frequentemente as pessoas que se queixam acabam mortas às mãos daqueles em relação aos quais se queixavam e esperavam a protecção do Estado a quem se queixaram. Enquanto os juízes não forem responsabilizados cível e criminalmente pelos danos que podem causar às pessoas, para além de poderem ser exonerados compulsivamente (ou simplesmente despedidos com justa causa), por um orgão eleito ou por um orgão nomeado por um orgão eleito, totalmente independente do poder judicial, seus orgãos coorporativos e sindicatos (o que em Portugal não é credível...), este cancro atroz, perverso, desvirtuador da democracia e com poderes absolutos não sufragados, que corrói e destrói o lugar, não vai mudar. Ou então ser a "zona euro" a tratar deste caso, constituindo um directório de juristas nomeados pela Alemanha e pelos países mais transparentes e avançados da UE, que mande nos magistrados e no Ministério Público português e faça uma reforma de "sangue novo", com outra cultura e outra ética, em todos (todos!) os níveis do sistema de (pouca ou nenhuma) justiça português.

Na realidade a "justiça" à portuguesa é um cancro porque toda a classe política portuguesa é um cancro. A justiça é um cancro maior porque os magistrados ficam lá sempre, ao contrário dos políticos que são ciclicamente mudados. Se a política portuguesa é corrupta, a mais corrupta do espaço Euro (muito, muito pior que a grega, porque uma coisa é não pagar impostos outra coisa é a brutal corrupção de Estado portuguesa que se apropriou dos impostos pagos pelas pessoas e do dinheiro dos fundos comunitários destruindo totalmente o país para enriquecer uns poucos de políticos, empresários, advogados e quiçá magistrados, lançando a fome e a miséria sobre uma parte da população portuguesa), imagine-se então o que é a "justiça" à portuguesa onde os magistrados são magistrados vitaliciamente. Portugal não se regenerá por si mesmo e só uma intervenção exterior, muito prolongada ou definitiva, pode "curar" a justiça e a política portuguesas e trazer alguma dignidade e bem estar à população portuguesa. 

Reacções (reações se preferirem):

Ross , Porto. 17.08.2012 16:41

Mas então como é?

O pai daquela juíza que matou o genro com 5 tiros de revolver, com o neto ao colo, filho do assassinado, fica em liberdade a aguardar julgamento (será que vai haver?) e este que mata o pai que infernizava a vida da mulher e filhos fica em prisão preventiva??? Qual é a diferença entre um caso e o outro para haver decisões tão diferentes? Ah já me esquecia que este é pobre e o outro é pai de uma juíza e deve ser rico e poderoso. Afinal foi bem decidido eu é que estava distraído...
_Zé_ , Porto. 17.08.2012 18:29
I rest my case
Enquanto este triste pobre apanha com preventiva, sabemos que há casos bem mais repugnantes (pelos menos na minha óptica) que são tratados da seguinte forma: "O homem de 35 anos detido no Porto por suspeita de abusar sexualmente de uma menina de 11 anos ficou sujeito a apresentações periódicas junto das autoridades policiais, após interrogatório judicial. É o terceiro caso, em seis dias, na região do Porto, com a mesma medida de coação." Vergonha de Justiça, vergonha de Magistrados, vergonha de País.

Miguel Rato . 17.08.2012 19:11
Via Facebook

pois claro

a justiça portuguesa no seu habitual. Das queixas feitas antes por violência doméstica nada resultou, agora que se defendeu foi preso. Vergonha de país. Vergonha. Vergonha. Vergonha.

Luis , Almada. 17.08.2012 15:55

Portugeese djustiss...

Enfim... era de esperar.. calhou-lhe o juíz "errado" ... se tivesse sido akele q mandou o tipo q entrou aos tiros numa esquadra ( e matou um ), esperar julgamento em casa.... Ou akele q matou o genro á frente da neta aos tiros ... ( vídeo available no youtube ), tb ficou em casa á espera ....


P Rodrigues , Montijo. 18.08.2012 00:02

Pena de Morte

O actual sistema judicial Português já deveria, há muito, ter sido condenado à pena de morte !!!

Comentários

  1. ACM, Porto

    Farto da "impunidade" do Estado!

    O jovem viu-se obrigado a fazer justiça pelas suas próprias mãos!!! Não há "moral" que o possa condenar. Basta que sejamos empáticos.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares