Saltar fora da barcaça do genocída

As novas deserções – dos representantes diplomáticos sírios nos Emirados Árabes Unidos e em Chipre, os quais são marido e mulher – foram confirmadas ainda ontem à noite pelo porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, o qual precisou que os diplomatas partiram ambos para o Qatar. Este foi o destino escolhido, no início do mês, também pelo embaixador sírio no Iraque, Nawaf Fares, até agora a mais importante deserção diplomática ao regime de Assad.

A partida de Lamia al-Hariri, responsável de negócios da Síria em Chipre, e do marido, Abdelatif al-Dabbagh, embaixador de Damasco nos Emirados, “mostra que responsáveis de topo no círculo próximo de Assad estão em fuga do Governo por causa dos actos odiosos cometidos contra o povo e também que os dias de Assad no poder estão contados”, sustentou Carney.

Foi igualmente reportada, mas ainda não confirmada, a deserção do adido militar sírio em Omã, Mohammed Tahseen al-Faqir.

Mensagens populares