Bombista pelos ares

O assassino estava apanhado: a facturação detalhada mostrava, sem qualquer dúvida, os números marcados, e as horas a que o foram, pelo telemóvel do suspeito. Prova irrefutável? Sim – segundo o Ministério Público, o juiz de instrução criminal e o tribunal que condenou o assassino a 22 anos de cadeia. Mas a nossa Justiça tem partes gagas. Um juiz desembargador – Carlos Benido, que há tempos ajudou a absolver Carlos Melancia – considerou nula a facturação detalhada. O assassino foi libertado.

Comentários

Mensagens populares