Se a coragem não tivesse sido desbaratada

Se a coragem não tivesse sido desbaratada em imposições inconstitucionais aos mais fracos, se não houvesse interesses do centrão dos negócios e da banca a proteger, se não existisse medo das reações dos poderosos que têm acesso facilitado à comunicação social e se prevalecesse a exigência do interesse público, o governo teria iniciado o seu programa de cortes e de contenção de despesas pela denúncia dos contratos das PPP, impondo uma renegociação ajustada à situação crítica que afeta as contas do estado.


Desgraçadamente, o mesmo governo que faz voz grossa e esbulha os rendimentos dos funcionários públicos e da classe média, continua em quebranto face às derrapagens e às gangrenas contratuais por onde se esvai uma parte significativa dos dinheiros públicos, convivendo, manso e em pantufas, com os encargos ruinosos que as PPP representam para o estado e, consequentemente, para os contribuintes. OVG

Comentários

Mensagens populares