Mergulhando o país no caos

A  troika “está a pedir mais recessão do que este país pode aguentar. Vou lutar por todos os meios para o evitar”, afirmou Samaras à saída da reunião. Na mesma linha, Karatzaferis disse que não quer contribuir para a “explosão de uma revolução”. Na véspera, no entanto, os ministros das finanças da zona euro, que abordaram a crise grega por teleconferência, explicaram de forma clara a Venizelos que não haverá ajuda sem um compromisso claro dos três partidos sobre metas precisas de consolidação orçamental e de reformas estruturais. A ser assim, o país chegará a 20 de Março sem meios para refinanciar 14.500 milhões de euros de dívida, entrando em incumprimento (default).

O problema é que os governos europeus enfrentam cada vez maiores dificuldades para explicar às respectivas opiniões públicas a concessão de uma nova ajuda a Atenas, depois da falta de resultados associados a um primeiro pacote de 110 mil milhões concedido em Maio de 2010. “A Grécia está à beira da cessação de pagamentos, mas os políticos gregos não querem saber, estão convencidos de que a zona euro não os deixará cair”, lamentou um diplomata europeu. Só que, frisou, depois de várias ameaças da zona euro, desta vez “o risco de incumprimento é bem real”.

O receio nas capitais europeias é que o impasse nas negociações leve Papademos a demitir-se por falta de apoio dos partidos do seu governo, mergulhando o país no caos. publico.pt



Nota: os gregos deveriam fazer pagar fisicamente a quem os levou a este estado.


Novo recorde nas exportações alemãs


Segundo dados referentes a 2011, o excedente comercial aumentou 2,1%, para 158 mil milhões de euros, segundo dados do serviço alemão de estatística, o Destatis. economia.publico.pt

Mensagens populares