Escravizou a mulher durante 44 anos

Maria Eugénia viveu como prisioneira durante 44 anos, acorrentada, subnutrida e espancada pelo companheiro, Manuel Pereira,em Serém de Baixo, Águeda. Esta sexta-feira, após ter sido detido pela GNR, o juiz de instrução criminal proibiu-o de se aproximar dela.

Não podia comer, falar com os vizinhos ou afastar-se de casa. Maria Eugénia Ferreira, de 66 anos, foi escravizada, humilhada e agredida pelo companheiro, Manuel "Choilo", de 80, durante as últimas quatro décadas. Em silêncio, segundo os vizinhos e familiares, chorava o terror em que vivia mas às autoridades sempre negou as agressões, após as denúncias feitas às autoridades. jn.pt

Nota 1: e durante 44 anos, que sejam 40 (!!!), a "vizinhança" não notou nada de anormal? Ou tinham "mêdo" e não queriam "arranjar problemas"? (os portugueses têm muitos mêdos... só não têm mêdo de serem perversos e corruptos, ainda que este caso demonstre que as portuguesas vítimas protegem os seus portugueses algozes... o que é mais uma portuguesa "especificidade" que a portuguesa justiça deveria sempre ter em conta) 

Nota 2: "Não podia comer". Ou seja... jejuou durante 44 anos... Ha! Afinal parece que comia os restos que o bom do marido -- exemplar acabado do "bom povo português" que durante 44 anos, talvez um pouco menos pois devem ter começado a denunciar o caso a partir do ano quadragésimo (ei pá! já chega vamos lá acabar com isto, devem ter pensado os portugueses ao fim de 40 anos),  contou com a cumplicidade criminosa de outros portugueses e do sistema de "justiça" inútil e incompetente para perceber as "especificidades" (leia-se aberrações) deste "rico" lugarzinho -- lhe dava.

Nota 3:  "Novo cardeal diz que se deve dar mais valor à mulher em casa" (publico.pt). O Manel dava tanto valor "à mulher em casa" que nem a deixava sair... O cardeal não necessita de publicitar "que se deve dar mais valor à mulher em casa" porque há muitos Manéis em Portugal.

Mensagens populares