Um crime hediondo

Emigrante português na Bélgica despejado numa ruela deserta até morrer


António Nunes Coelho, de 49 anos, ainda esteve vivo “entre 15 minutos e uma hora” depois de ter sido despejado pelo patrão e dois colegas da obra, numa ruela deserta de Bruxelas, onde estava a trabalhar ilegalmente. Depois de ter caído de um andaime, vítima de um ataque cardíaco, em vez de ser socorrido foi transportado de camião e abandonado num local deserto. As autoridades belgas investigaram o caso e a autópsia concluiu que o português foi abandonado ainda com vida, noticiou na terça-feira o jornal belga La Dernière Heure. publico.pt


Nota: o Público esqueceu-se de referir que tanto o criminoso patrão como os criminosos ajudantes são portugueses... E emigrantes.

Comentários

Mensagens populares