Condenada à morte por um copo de água


Lisboa, 07 set 2011 (Ecclesia) – O caso da xícara partilhada entre a cristã Asia Bibi e mulheres muçulmanas, que acabou na condenação à pena capital, traz hoje a Lisboa a coautora do livro “Blasfémia – Condenada à morte por um copo de água”.

A jornalista francesa Anne-Isabelle Tollet assina com a protagonista uma história verídica que começou quando Asia Bibi bebeu “de um poço pertencente a mulheres muçulmanas, pelo copo ‘delas’, debaixo de um sol com 40º C”, relata a obra editada em Portugal pela Alêtheia.

“Sou prisioneira porque utilizei o mesmo copo dessas mulheres muçulmanas. Água bebida por uma cristã considerada impura por essas estúpidas companheiras dos campos”, conta a jovem mãe camponesa encarcerada há dois anos, no seguimento da blasfémia cometida a 14 de junho de 2009.

Asia Bibi foi condenada à morte por enforcamento em novembro de 2010, tendo sido insuficientes os apelos à libertação feitos pelo governador Salman Taseer e o ministro cristão das Minorias, Shahbaz Bhatti, ambos assassinados, e também pelo Papa Bento XVI.

Da “prisão imunda” onde está detida, Asia Bibi pede ajuda para denunciar a “injustiça” e “barbaridade” da condenação, salientando que trabalhou “durante anos na casa de uma família de ricos funcionários muçulmanos” que “não se incomodavam com o facto de uma cristã lhes preparar as refeições e lhes lavar a loiça”.

“Lestes a minha história, aprendestes a conhecer o meu país, a nossa vida que, apesar de tudo, é uma vida feliz – ou que, em todo o caso, poderia sê-lo (…) Agora que me conheceis, contai à vossa volta o que me aconteceu. (…) Creio que é a única maneira de eu não morrer no fundo desta prisão”, pede Asia Bibi na última página do livro. ecclesia

Nota: creio que foi hoje, 3 de Fevereiro de 2012, que foi entregue ás autoridades paquistanesas um abaixo-assinado com assinaturas recolhidas em Portugal, no sentido da libertação de Asia Bibi.

Mensagens populares