"Democracia com falhas"

Portugal passou este ano de uma situação de democracia plena para uma democracia com falhas, o que se deve sobretudo à erosão da soberania associada à crise da zona euro, revela o Índice da Democracia 2011 do Economist Intelligence Unit.

Pela primeira vez, Portugal surge no grupo das democracias com falhas, depois de o mesmo ter acontecido à França, Itália e Grécia.

Num total de 10 pontos, Portugal obtém 7,81, o que resulta de uma avaliação de cinco critérios: processo eleitoral e pluralismo (9,58 pontos), funcionamento do Governo (6,43), participação política (6,11), cultura política (7,50) e liberdades cívicas (9,41).

O relatório conclui que, em 2011, o declínio da democracia se concentrou na Europa (Finlândia, Irlanda, Alemanha, Espanha, Portugal, Itália e Grécia). A principal razão apontada é a erosão da soberania associada aos efeitos e às respostas à crise. publico.pt

Nota: com tantas "falhas" que talvez não seja exactamente uma democracia verdadeira... Mas, um relatório que não avalia a gestão dos dinheiros do Estado num Estado que faliu, parece ser um relatório com muitas falhas...

Mensagens populares