Adolescente afegã torturada durante meses

Sahar Gul casou quando tinha 14 anos, há cerca de sete meses, na província afegã de Badakhshan, e foi viver para Baghlan. Logo depois do casamento, o marido e o sogro quiseram obrigá-la a protituir-se. Sahar recusou e a tortura começou.

O chefe da polícia local, Fazel Rahman, disse à agência France Presse que a jovem adolescente, agora com 15 anos, passou fome e foi espancada. "Arrancaram-lhe unhas, tiraram-lhe pedaços de carne e de cabelo com alicates e partiram-lhe um braço", precisou.

Os pais de Sahar, que perderam o contacto com a filha logo após o casamento, denunciaram o seu desaparecimento às autoridades. A polícia acabou por descobrir a jovem esta semana, prisioneira na casa-de-banho da cave da casa do marido. Sahar foi internada em estado de choque.

O marido conseguiu escapar, mas três mulheres da família, incluindo a sogra de Sahar, foram detidas. Sobre o sogro não há ainda qualquer informação oficial.

Segundo a Comissão dos Direitos Humanos do Afeganistão, mais de mil casos de violência contra mulheres foram registados no país no último trimestre desde ano. Em 2010, foram 2700 os casos de violência de género confirmados pelas autoridades.

A mesma comissão informa que 87% das mulheres afegãs dizem ter sofrido violência física ou psicológica e terem sido obrigadas a casar. jn.pt

Mensagens populares