Salvar o Euro e o "projecto europeu"

A Alemanha e outros países europeus estão a ponderar a criação de um fundo de estabilização europeu como instituição paralela ao Banco Central Europeu (BCE), para salvar a moeda única, noticia hoje o matutino germânico Sueddetusche Zeitung. Wolfgang Schäuble e Christine Lagarde vão reunir-se em Estrasburgo.

O fundo deverá servir para ajudar países da zona euro em dificuldades financeiras, exigindo-lhes simultaneamente uma rigorosa disciplina orçamental, na linha das decisões aprovadas na Cimeira Europeia, em Bruxelas, na semana passada. Trata-se de um fundo destinado também ao “crescimento e ao investimento”, segundo o mesmo jornal, citado pela agência AFP.

Os chefes de Estado e de Governo dos “27” decidiram então criar um mecanismo permanente para estabilizar a moeda única, que substituirá, a partir de meados de 2013, o actual fundo de estabilização de 750 mil milhões de euros, criado em Maio, e a que, entretanto, recorreu apenas a Irlanda, pois a ajuda à Grécia foi concedida por outro processo.

Com base num documento de trabalho, ainda confidencial, do Governo alemão, mas em cuja elaboração participaram também a Finlândia, a Holanda e a Irlanda, o Sueddetusche Zeitung revela que o novo fundo deverá funcionar como segunda instituição, com plena autonomia, a par do BCE, e com uma capacidade “ilimitada” de refinanciamento para poder defender o euro.

Para isso, os países da moeda única terão de contribuir com garantias bancárias, na proporção do seu poder económico.

Garantias em ouro ou capital de empresas

Ultimamente, tem havido debates no sentido de aumentar o tecto do actual fundo de estabilização financeira, opinião defendida, por exemplo, pelo presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, mas Berlim considerou essa medida “desnecessária”.

O facto de a Alemanha reconhecer agora, no documento de trabalho do Governo, que o futuro fundo tem de ter um refinanciamento ilimitado é considerado pelos observadores uma proposta importante para tranquilizar os mercados.

Países da zona euro em dificuldades financeiras poderão também recorrer ao novo fundo para obter empréstimos se apresentarem garantias em reservas de ouro, em participações em empresas ou em obrigações privadas, de acordo com o Sueddetusche Zeitung.

“A Alemanha tem interesse nacional na manutenção do euro com todos os seus membros, mas o euro tem de se orientar pelos interesses de estabilidade alemães, para que a Alemanha, como maior economia europeia, possa ser a âncora de estabilidade na zona euro”, afirma-se no documento.

O debate sobre os contornos do novo fundo deverá ter por base o referido documento, e inicia-se já em meados de Janeiro no conselho de ministros da zona euro marcado para Bruxelas, refere ainda o jornal alemão. No entanto, fala também da existência de um plano francês e de um encontro em Estrasburgo entre os ministros das Finanças da Alemanha e da França, Christine Lagarde e Wolfgang Schäuble para articular posições. publico.pt

Nota: Is Germany working on a new stability fund for the European common currency? A report in a Munich daily on Thursday claimed that Berlin was working with several other European capitals on such a plan. The Finance Ministry, however, says it is not. The confusion is typical of the EU's response to the euro crisis.

Mensagens populares