Legislação laboral só tem um peso de 13,8%

O líder da UGT lembrou, de resto, que "para a competitividade da economia portuguesa a legislação laboral só tem um peso de 13,8%", sendo mais importante valorizar o salário mínimo, a negociação colectiva e outras formas de melhorar a competitividade. João Proença sublinhou, aliás, que é às empresas que cabe apresentar propostas que melhorem a competitividade e que estas ainda não chegaram à mesa da Concertação Social. dn.pt, 9 dez

Nota: somente idiotas podem equacionar que o atraso de Portugal seja causado pela legislação laboral.

Mensagens populares